28.5.11

Um pouco de tudo e de tudo nada.

Iniciar textos deve ser o meu maior problema em escrever. Nunca sei por onde começar.
Aquela idéia pronta, aquela frase de efeito, nada disso funciona comigo. Acho que penso mais do que consigo processar, talvez por seja esse o motivo, o vilão de toda história.
Posso começar então meu texto pelo meu atual momento, pelo meu cenário:

Sábado, 20h30 da noite....

Não...não! isso fica muito cliche, fica muito brega também.
Como o blog sendo minhas recordações, não me interessaria nada lembrar que hoje, neste ano, estamos no sábado e que as 20h30 da noite estou na internet tentando fazer algum registro da minha vida....

Ai que eu fico pensando, será que um dia lerei tudo isso que digito? será que daqui a 5 anos o que penso sobre o mundo será o mesmo? será que meus gostos serão os mesmos?

Tudo é uma grande dúvida...até o que eu escrevo aqui hoje...

Devo ter um monte de postes como este onde não tenho a minima noção de como começar o que quero por pra fora e enrolo e enrolo e não digo nada e saio do blog com as memas idéias que antes....Digo isso porque escrever aqui, por mais idiota que pareça, me faz pensar melhor, organizar as ideias, "desabafar" um pouco se assim posso dizer...

Então voltemos ao raciociono inicial...mas aquele raciocionio que me levou a abrir o blog e escrever...

Estava pensando na corrida de popularidade familiar, aquela que toda familia do mundo tem, onde as mães precisam se gabar dos seus filhos porque eles são "melhores" que os outros. Aquela corrida onde é preciso sempre fazer mais pra ser mais comentado na rodinha da popularidade....

Boooom, esse raciocionio eu termino depois de comer uma bela pizza ;)

24.5.11

Pensamentos soltos

TPM pra mim é um negocio complicado, ou eu fico totalmente pensativa/filosofica/reflexiva/alienada/... (como atualmente) ou eu fico extremamente irritada (onde até meu reflexo me irrita).

Na realidade eu não sei qual é o pior, porque irritada eu ainda quero me socializar e tento ser feliz porque eu tenho total noção que eu tô de tpm e tô automaticamente chata e quando estou nesses dias de longas analogias e pensamentos pronfundos eu gosto de ficar mais nos bastidores, analisando, resolvendo os pipinos que sempre ficam pra depois....faço aqueeela faxina, dou uma melhorada em tudo o que estava me incomodando e eu não tinha vontade sulficiente para melhorar.
Analisando pelo lado positivo de ambas tpm´s eu até que me saio muito bem com todo estresse de uma mulher naqueles dias, quase imperceptivel. Porém ainda imagino eu não poderia juntar os dois e ainda pensativa e analítica, ter ânimo para me socializar com essas pessoas que me fazem imaginar diversas coisas que eu ignoro profundamente e muito bem quando estou em sã consciência (não que eu me descontrole ou saia de mim na tpm, mas vamos concordar que nenhuma mulher com tpm fica completamente lúcida, ou vai me dizer que chorar em comercial de margarina, soluçar com beijos da novela, encher os olhos de lágrimas ao ver uma cena romântica entre outras demosntrações de patética emoção barata é estar em um estado de sanidade? Fora os escandalos pelo marido/namorado deixar a tampa do vaso levantada, não fechar direito a tampa da pasta de dente, deixar a toalha em cima da cama molhada....polts, tem muita coisa que acabam escapando nesses gloriosos dias de tpm que deixa qualquer uma completamente vermelha de vergonha se forem parar pra pensar). Talvez por falha da genética isso seja completamente impossível, socializar com pessoas que você analisa e tira conclusões meio ... meio ... meio... apenas tira conclusões, prefiro deixar a frase assim mesmo.

Enfim....

Tpm para mim poderia só ser aquela dorzinha de cabeça que fica martelando bem no fundo e ser resolvida com um simples remédio.